Banda Herdeiros - Povos, Cantai! Nasceu Jesus
"E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito ...
HeartSong Cedarville University - A Mighty Fortress
A música Castelo Forte, de Martinho Lutero, numa versão contemporânea ...
Fernandinho - Música: Galileu
Galileu, o novo CD do Pr. Fernandinho, traz canções, cujas mensagens nos reportam ao ponto mai ...
Projeto Líder de Louvor - Ver aonde vou
Como um pai que educa o filho, Ele nos ensina a caminhar, mostra que nós temos um lugar. Ver o ...
Dinossauros da JELB - Teófilos.Net
Rahel
Autêntico e questionador, ele se auto-denomina de: "O Chato da JELB", rs. Bom-humor e iniciativa também o definem!

1) Seu nome completo:
- Rahel Victor Lehenbauer.

2) Cidade e Estado de origem:
- Arroio do Meio-RS. Mas em termos jelbianos sou “natural” de Porto Alegre.

3) Desde que ano participa das reuniões de grupos de jovens da JELB?
- Não sei ao certo. Mas lembro de já ter sido envolvido com a minha UJ antes mesmo de entrar para a instrução de confirmandos (1989), de onde só fui “libertado” em 1991.

4) Ainda está em atividade, ou já está em “extinção”?
- Tem como entrar em extinção? Nem sabia. Sempre na área, sempre olhando para a JELB, acompanhando, sugerindo (e eu sou o chato que se mete onde não é chamado só para sugerir, criticar, opinar), defendendo moções nas Convenções ou Conselho Diretor da IELB, enfim... de um lado algumas atividades entram em extinção, mas do outro, novas aparecem.

5) Participou de quais congressos Nacionais?
- Quase nenhum. Posso listar aqueles que quase participei?
- Campo Grande, Rio de Janeiro, RJ (1993);
- Santa Rosa – RS (1995).
- E estive finalmente em Curitiba – PR (1997),
- depois em Guarapari – ES (1999),
- em Canoas – RS (2001) somente cantando na abertura com um grupo vocal,
- e então a maior dor de todas: não participar do Congressão de Aracaju – SG em 2003.
- Mas apareci em Cuiabá – MT (2005)
- e depois em Joinville – SC (2007) onde eu e a Carol (minha namorada) montamos com todo apoio do CG a Tenda Social.

6) Participação em Congressos Distritais: (lembra quantos?)
- Congressos distritais foram pelo menos uns 15... 18... 20? Quem é que conta congresso distrital? rs

7) Cargos ocupados na JELB/Distrito/União Juvenil:
- Eu não fui feito para cargos. Sempre tive consciência disso. Mas fui presidente da minha união juvenil, participei de diretorias distritais oficialmente (em geral, sem cargo, apenas como “chato” que aparece nas reuniões).
- Em nível nacional eu sou apenas “O chato”, no pé dos CGs, ação especialmente intencificada com o advento da internet.
- Mas fui coordenador da Comissão de Projetos Sociais da JELB, na gestão de 2007, convite que veio por conta do fome29, projeto que eu e a Carol Strelow criamos e encabeçamos de 2005 a 2010 - hoje é um projeto livre e aberto, sem coordenação central.
- Participação em Comissão da JELB é o que não falta (rs)... liderança, música, teatro, social.
- Participei de um CD da JELB, por convite do Paulinho Winterle (música dele) - algo ainda hoje inusitdado para mim. Mas meu cargo principal é o de chato mesmo!
- Na verdade, perto da minha tradicional chatice e aversão a cargos, eu não mereço estar nesta lista como nomes como Luizão, Paulinho Hand, e a Waldirene.

8) Música(s) da JELB que você mais gosta:
- Músicas que eu gosto até hoje vão desde aquelas criadas pelo Valdo Weber, passando por “Abra o seu coração” do Lauro Bohler Jr (FM JELB de 1991) até as mais recentes músicas do Ninja (falecido em 2009) e as do Herdeiros que está sempre se superando e me surpreendendo.

9) Momentos marcantes que viveu na JELB:
- Tem muito momento marcante em termos de JELB, tanto no sentido da JELB local (UJ e distrito) como nacional. Mas é engraçado que no meio de tantos, conhecer o meu amigo Luizão foi uma conversão. Muita coisa que falamos eu levo até hoje e, muito que ouvi dele, me fez repensar a JELB e o que fazer pelos jovens dentro e fora dela...
... teria muitos momentos negativos bem marcados pois em cada um deles aprendi a repensar ideias e reciclar ações. E nisso, criar um projeto como o fome29 com a Carol e ver o envolvimento dos jovens que participam do programa é algo sensacional!!!

10) Do que você sente mais saudade dos tempos antigos?
- Eu não tenho muita saudade dos tempos antigos. Gosto do tempo atual. É o que temos... o que Deus nos deu para servir. E a comunicação hoje é 200.000.000% melhor com a internet. Tudo melhorou e Deus tem abençoado demais a JELB... se conseguimos usar bem o que temos é outra história.

- Eu não tenho saudade do tempo, mas das pessoas com as quais não tenho mais tanto contato. A liberdade que tive para aprontar, inventar, tentar, errar, dar a volta por cima, e fazer um monte de besteira outra vez, faz de mim o que sou hoje e cada amizade construiu um pouco de mim. Por isso é até injusto citar o nome de alguém (além do já lembrado Luizão)... pois nisso entram muitos pastores, e outros tantos jovens, e acontecimentos: como o primeiro ENL(Encontro Nacional de Líderes) ou a criação da JELG (Juventude Gaúcha - estrutura estadual).

- Pensando sobre épocas passadas, lembro com alegria de coisas simples como retiros de estudo em Igrejinha-RS (-5°C), cantorias em volta de fogueiras tomando chimarrão com leite ou café tropeiro, banho de açude, barracas sendo levadas pelo vento no meio de temporais, ônibus atolados com 45 cabeças dentro... horas de espera em filas de banho de congresso, plenárias com discussões acaloradas sobre moções que pareciam tão importantes na época, teatro de congressão, todos estes foram momentos de louvor e adoração.

11) Relembre alguns fatos pitorescos:
- Essas perguntas e propostas são feitas para dificultar a escolha, né?
- O discurso que ouvi em uma reunião da UFIPOL (União do Filhos de Pastores e Obreiros Luteranos) no Congresso de Curitiba foi um destes fatos: “somos tão sofredores... somos muito pressionados... filho de pastor não pode isso, não pode aquilo”. Enfim, não me identifiquei em nada com o discurso e ainda hoje dou umas risadas de lembrar. Quem mandou ser curioso e participar da reunião!
- Em um momento de crise no distrito portoalegrense, em que ninguém queria se candidatar para a diretoria distrital, sugeri que o DIPA fosse então extinto... o que para mim, não representaria nenhum problema - estruturas podem voltar a viver sem grandes dificuldades. Depois disso não demorou muito para os mais escandalizados com a sugestão colocarem seus nomes para eleição.
- A criação da JELG para mim foi algo bem esquisofrênico também, pois um dos argumentos mais utilizados na época era a simples existência da JELG, pois outros estados também tem uma organização estadual. Estruturas que não existem no dia a dia dos jovens para mim são basicamente inúteis... mas aos poucos todas elas acabam sendo úteis para o trabalho, mesmo que apenas realizando um congresso.
- Fui proibido de jogar cartas durante o horário livre em um congresso. “Coisa do demo!” - deve ter pensado o pastor. rs
- Levei um colchão inflável de piscina para o congresso em Curitiba e acordar o povo “nos quartos” cada vez que mudava de posição. Coisa idiota essa lembrança! hahaha

12) Deixe uma mensagem para a JELB de hoje:
- Iniciativa!

- Lembro de que a primeira grande iniciativa é de Deus em nos chamar para junto dele. Mas essa ação de aproximação se transforma imediatamente em missão: nos transforma, portanto, em enviados. E como enviados dele temos tudo para sair do comodismo e tomar a iniciativa de pensar que o que fazemos dentro e fora da JELB (local, distritial, regional ou nacionalmente), oficial ou extra-oficialmente, fazemos com um mesmo propósito que nos une: apresentar a salvação para mais e mais gente, olhando para nosso próximo com cuidado e carinho. Iniciativa para apresentar projetos para a igreja e colocar a mão na massa, quer você tenha sido eleito ou não, quer o CG peça ou não, quer o pastor tenha implorado ou não, quer alguma comissão tenha nos chamado ou não, iniciativa me parece se fundamental para mudar as coisas.

- Iniciativa para trabalhar pelo bem da cidade em que vivemos como prisioneiros (Jeremias 29). Algumas vezes podemos nos sentir estranhos no ninho, como os judeus quando estavam cativos na Babilônia. Nosso jeito de ser, as coisas que cultivamos por causa de nossa relação com Deus nos fazem diferentes de muita gente. E temos duas tendências bem comuns: querer nos separar daqueles que não são (“tão puros”) como nós e nos refugiarmos em nossas “vidinhas de igreja”; ou deixamos de ser igreja e nos adequamos ao estilo de vida que nos cercam (voltando para a prisão da qual somos libertados). Deus nos sugere trabalhar pelo bem da cidade onde somos prisioneiros. Talvez por isso Jesus investia seu tempo entre pecadores... não sei...

- Iniciativa para não ficar esperando que alguém faça aquilo que nós estamos vendo que precisa ser feito em qualquer área da igreja e fora dela... lembrando em especial da importância de olhar para fora dos nossos muros e tirar os olhos dos nossos umbigos.

Galeria de Imagens:
JELB - Juventude Evangélica Luterana do Brasil
Publicado: segunda-feira, 22 de julho de 2013

Comente este post!

Teófilos.Net
Teófilos.Net - Um Site para os Amigos de Deus
Compartilhando: Conhecimento Bíblico - Artigos Teológicos - Conteúdo Cristão
E-mail: wagnerjann@gmail.com
2009-2017 - Todos os Direitos Reservados - Teófilos.Net
Desenvolvido por: Wagner Jann